Auxílio Brasil – Saiba Como Reajustar o Valor do Seu Benefício

Publicidade

O Auxílio Brasil já beneficia mais de 18 milhões de brasileiros e reajuste no valor do benefício já acontece para algumas pessoas. Veja os critérios para tentar um aumento e saiba como fazer ficando ligado nas informações que mostraremos a seguir. Saiba que se você já é contemplado no benefício, possui grandes chances de melhorar o seu abono.

O que ocorre é que, apesar de o benefício ajudar tantas famílias, ainda se mostrava insuficiente para suprir as necessidades da população em situação de vulnerabilidade. Para amenizar isso foram criados abonos complementares, que se somam aos abonos básicos e resulta em um aumento de até 40% no valor total de alguns beneficiários.

Publicidade

Atualmente, segurados do programa Auxílio Brasil recebem em média R$400,00 mensais. Com o reajuste, alguns beneficiários já chegaram a conseguir até R$560,00, devido aos abonos complementares pelos quais recebem concessão. Sendo o valor do pagamento definido pela soma do valor dos abonos em que o beneficiário se enquadra.

auxílio brasil
auxílio brasil (imagem do google)

Sobre o Auxílio Brasil

Para muitos, uma dúvida frequente é se o Auxílio Brasil é uma extensão do Auxílio Emergencial. Na verdade, o que causa a confusão é o fato de a primeira parcela de um ter sido exatamente no mesmo período em que o outro se encerrava. No entanto, o benefício que visava amenizar os danos da pandemia do Covid-19 não existe mais e não recebeu nenhuma extensão.

O atual programa do Governo Federal tem a finalidade de apoiar famílias em situação de extrema pobreza e pobreza, seguindo a mesma linha de inclusão do extinto Bolsa Família. O programa é gerido pelo Ministério da Cidadania e tem o repasse dos valores aos beneficiários feito pela Caixa Econômica Federal.

Enfim, as pessoas que recebiam o Auxílio Emergencial em 2021 não configuram aptidão para receber o Auxílio Brasil, por outro lado, os beneficiários do Bolsa Família foram automaticamente transferidos para o atual programa. Caso você não fosse um integrante do Bolsa Família mas se enquadre nos critérios do novo auxílio, saiba que pode ainda se inscrever.

Como calcular o reajuste no valor

Publicidade

Se você já é um beneficiário do Auxílio Brasil, deve conferir os abonos complementares para saber quanto receberá de aumento. No total são nove abonos, sendo seis deles implementados recentemente e outros três que já vigoravam desde o núcleo básico do programa. Para calcular o valor total basta fazer a soma de todos aqueles em que esteja apto.

Vale ressaltar que, além de descobrir quais os abonos que ainda podem ser incluídos do valor do seu benefício, é necessário tomar algumas medidas para garantir o seu direito. Para dar o primeiro passo, veja a seguir quais são esses nove abonos e os valores pagos a cada família ou integrante, bem como os casos em que há limitação de pagamento.

  1. Primeira Infância: Cada integrante recebe o valor de R$130,00 mensais, para até cinco de uma mesma família;
  2. Composição Familiar: Cada integrante recebe o valor de R$65,00 mensais, para até cinco de uma mesma família;
  3. Superação da Extrema Pobreza: Cálculo de valor feito individual para cada família;
  4. Criança Cidadã: Recebem R$300,00 para turno integral e R$200,00 para turno parcial;
  5. Esporte Escolar: Recebem R$1000,00 em parcela única ou 12 parcelas de R$100,00;
  6. Iniciação Científica Junior: Recebem R$1000,00 em parcela única ou 12 parcelas de R$100,00;
  7. Inclusão Produtiva Rural: Recebem R$200,00 por família;
  8. Inclusão Produtiva Urbana: Recebem R$200,00 por família;
  9. Compensatório de Transição: Cálculo de valor feito individual para cada família.

Veja que, os abonos conseguiram incluir condições de estudo e trabalho de integrantes das famílias beneficiadas pelo Auxílio Brasil. Isso reforça ainda mais o poder do programa em acolher cada vez mais brasileiros em situação de vulnerabilidade social e econômica. Confira o tópico seguinte para descobrir também quais são os critérios básicos para se adequar a cada abono.

Como se adequar aos abonos

Já sabemos os valores referenciais que serão pagos para cada quadro do Auxílio Brasil, resta saber se você se enquadra nos critérios de aprovação de algum deles. Para isso, preparamos essa informação logo abaixo, de forma resumida, para que você se baseie e possa decidir se deve ou não ir em busca do seu aumento de benefício.

  1. Para famílias que possuam em sua composição crianças de 0 a 3 nos incompletos;
  2. Para famílias que possuam em sua composição crianças/adolescentes, jovens com idade entre de 18 e 21 anos que estejam matriculados na rede se ensino básico e/ou gestantes;
  3. Para famílias que mesmo com os abonos de Primeira Infância e/ou Composição Familiar constituam renda per capita menor que R$105,00, configurando assim situação de extrema pobreza;
  4. Para famílias que possuam em sua composição crianças com idade entre 0 e 4 anos e que mesmo conseguindo renda não encontre vaga em creches da rede pública ou da conveniadas da rede privada;
  5. Para famílias que possuam em sua composição estudantes entre 12 e 17 anos que ocupem posição de destaque em jogos escolares oficiais brasileiros;
  6. Para famílias que possuam em sua composição estudantes que ocupem posição de destaque em competições acadêmicas e cientificas nacionais;
  7. Para famílias que possuam em sua composição agricultores familiares que estejam inscritos no Cadastro Único;
  8. Para beneficiários do Auxílio Brasil que comprovem vínculo de carteira assinada;
  9. Para famílias que na transição do Bolsa Família para o novo programa tenham sofrido redução no valor do benefício.

Vale ressalvar que alguns dos abonos, inclusive dentre os novos, são válidos como adicional para aqueles que já recebem. Sendo que, os três primeiros mencionados fazem parte do núcleo básico do programa, e os outros seis seguintes representam os abonos complementares. Já descobriu se tem direito a um aumento? Se sim, atualize seus dados no CadÚnico.

Como atualizar seus dados no CadÚnico

Um dos primeiros critérios indispensáveis para a inclusão no Auxílio Brasil é estar inscrito no CadÚnico, uma vez que é através dele que acontece a análise das informações de cada família. Depois, estando com seus dados atualizados e seguindo os critério de concessão é que garante a permanência no benefício. Sendo assim, saiba como atualizar os seus dados.

No CadÚnico o cidadão precisa regularmente estar informando eventuais mudanças que impliquem em alterações sociais e econômicas da família inscrita. O período máximo entre uma atualização e outra é de até dois anos, excedido esse tempo o cadastro é desativado e a família é desligada de qualquer programa social em que esteja inscrita.

Para atualizar os seus dados e continuar recebendo o Auxílio Brasil e os reajustes oferecidos, basta um Representante Familiar se dirigir a ao CRAS do município portando ao menos um documento de cada integrante da família e solicitar a atualização. Ali, uma vez que as informações são colhidas, o representante passa por uma entrevista com Assistente Social que reforçara os dados informados.

Como pedir o Auxílio Brasil?

Se você ainda não é um beneficiário do Auxílio Brasil, saiba que há três possibilidades para entrar no programa. Listaremos a seguir quais são essas possibilidades e fica a seu critério tomar as medidas necessárias para garantir o seu benefício. Muitos integrantes já chegaram a receber R$560,00 somando os abonos. Não vai querer ficar de fora não é mesmo? Veja quem pode pedir o auxílio:

  • Famílias de baixa renda que estavam no Bolsa Família: Nesse caso, a transferência do benefício já ocorreu de forma automática;
  • Famílias que estão no CadÚnico, porém não recebiam o Bolsa Família: Esses ficam na lista de espera;
  • Famílias que se enquadrem em algum dos abonos, porém não estão no CadÚnico: Para esses, não há garantia de que o benefício será concedido. Devem se inscrever o quanto antes do CadÚnico e aguardar a análise do mês seguinte.

Para consultar informações sobre o benefício, basta acessar o aplicativo do próprio Auxílio Brasil ou mesmo o aplicativo do Caixa Tem. Outra alternativa também é ligar para o telefone 121, onde poderá se informar se tem direito ao benefício e o valor. Todas as informações que preparamos aqui tem o intuito de te manter atualizado sobre o programa, caso tenha sido útil, confira o nosso blog para ver mais.

Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *